Agenda 19 a 25 de junho 2018

Toda semana o AMANTES DA VIDA traz dicas de passeios pra você. Saia de casa e  divirta-se!

Terça 19/06

Começa hoje e vai até quinta o “ Salão São Paulo de Turismo”. Conheça o crescimento e as atrações de várias cidades do interior de São Paulo neste evento gratuito que acontece no Centro de Eventos São Luís, na Avenida Paulista esquina com a Bela Cintra.

Quarta 20/06

Friozinho taí e um dos eventos gastronômicos mais conhecidos do inverno paulista espera você. O Festival de Sopas Ceagesp  oferece semanalmente seis tipos de sopas, incluindo a clássica Sopa de Cebola, sucesso na cidade há mais de 50 anos. Confira de quarta à domingo a partir das 6 da tarde.

Quinta 21/06

Quem vê Batista e Maria andando pela rua com seus três filhos, Pedro, Emília e Rita, acha que o grande problema deles é a filha caçula porém… Saiba mais assistindo “Canastra Suja” drama brasileiro que estreia nesta quinta. No elenco Adriana Esteves e Marco Ricca, a trilha sonora é de Maria Gadú.

Sexta 22/06

Os Transformers chegam  ao Shopping Vila Olímpia. Nove esculturas gigantes inspiradas nos personagens da saga do cinema são assinadas por artistas plásticos chilenos. Alguns dos itens das obras foram produzidos com peças de carros reciclados. Crianças de todas as idades irão se encantar.

Sábado 23/06

No sábado às 13h tem debate sobre arquitetura na longevidade na Unibes Cultural- Rua Oscar Freire, 2500. Um pouquinho mais tarde às 16 e 20h volte a infância com Peter Pan, o Musical. Esse grande clássico ganha montagem brasileira no Teatro Alfa.

Domingo 24/06

Não perca a primeira exposição individual da pintora sueca Hilma af Klint (1862-1944) na América Latina, seu trabalho vem sendo reconhecido como pioneiro no campo da arte abstrata. “Hilma af Klint: Mundos Possíveis” está na Pinacoteca do Estado, neste domingo aberta entre 10 e 17h30.

Segunda 25/06

A partir das 18h30 na Livraria da Vila tem o lançamento do livro “Vivências de Coaching: a encantadora de vidas” da Andrea Deis.

Na próxima terça tem mais, tenha uma ótima semana!

O bairro mais descolado de Miami

MURAIS GRAFITADOS NAS RUAS, GALERIAS DE ARTE CHARMOSAS E CAFÉS ACONCHEGANTES TRANSFORMARAM WYNWOOD NUM EXEMPLO DE REVITALIZAÇÃO URBANA

Sob o olhar do tremendo empreendedor americano Tony Goldmam, um bairro em Miami, cuja vocação estava destinada ao declínio total, tornou-se um dos espaços mais charmosos no famoso paraíso das compras.

Wynwood não passava de um bairro que abrigava imigrantes. Cubanos, porto riquenhos, haitianos e colombianos dividiam o espaço com fábricas têxteis. Lá por 1970, a coisa degringolou de vez, pois o tráfico de drogas rolava direto .
Em 1987, um grupo do South Florida Art Center resolveu sair de Coconut Grove e, na maior ousadia, comprou um prédio na região e montou o mais conhecido atelier da Flórida – O Bakehouse.
O movimento não passou despercebido por aquele que já tinha revitalizado o Ocean Drive e o Soho . Quietinho quietinho, Goldman comprou um monte de imóveis no mesmo ano. Foi dando tratos à bolas para  saber como conseguir aproveitar as paredes sem janelas dos seus depósitos e galpões industriais para serem colocadas telas gigantes. Sua meta era transformar aquele pedaço de Miami em uma tremenda galeria a céu aberto.
Bolou a Wynwood Walls, onde os espaços enormes foram cedidos a grafiteiros renomados para exercerem a criatividade. Acelerou as tintas, para que a inauguração acontecesse junto com a já famosa feira de arte contemporânea Art Basel em 2009.
Era o ponta pé inicial para que em dois tempos fosse transformado o decadente espaço no local mais charmoso de Miami. Bares transados, restaurantes charmosos, galerias pra lá de interessantes, bares e cafés são o point dos antenados de bom gosto.
De uns anos para cá, na Wynwood Arts District, artistas disputam espaços e a NW 2nd Ave tornou-se um super atrativo polo turístico. Para dinamizar cada vez mais a onda que veio para ficar, todos os segundos sábados do mês rola a Wynwood Art Walk – uma já famosa feira, onde produtos de designers são colocados à venda, artistas fazem vernissages e músicos se apresentam ao vivo no maior clima festivo.
Vale o passeio!

Ana Boucinhas

Imagem: Divulgação.

Noites de frio e solidariedade

São Paulo entrou em estado de alerta devido a queda de temperatura, alguns moradores de rua morreram nas últimas noites.

Não costumo fazer esse tipo de pedido aqui mas fiquei tocada ao ver o telejornal neste final de semana, aqui vai:

Quem estiver vendo alguma pessoa em situação de rua perto do seu prédio, casa, trabalho, faculdade, escola, enfim… AJUDE. Ligue para (11) 3258-9449 ou 156. O número é mal divulgado, mas é de um serviço da prefeitura chamado Central de Atendimento Permanente e de Emergência (Cape), que tenta levar essas pessoas para abrigos. (eles não podem forçar, mas dão a opção).

Vamos fazer uma corrente de ajuda a essas pessoas em situação de rua que necessitam tanto de nossa solidariedade.

Agenda 13 a 19 junho 2018

Toda semana o AMANTES DA VIDA traz dicas de programas culturais, saia de casa e divirta-se!

 

Quinta 14/06

“Em 97 era assim” é o mais recente trabalho do diretor Zeca Brito que estreia nesta quinta em São Paulo. O longa traz quatro amigos em um tempo de descobertas, no auge da adolescência quando descobrem o poder de seus hormônios e o valor da verdadeira amizade.

Sexta 15/06

Matrioskas GIGANTES invadem a cidade! Sete bonecas russas de 2,60m de altura por 1,35m de diâmetro ficarão expostas durante toda a Copa no Shopping Morumbi. Apoiado pela Embaixada da Rússia no Brasil, o evento traz ainda apresentações de danças folclóricas do país.

Sábado 16/06

Pegue as crianças mais legais de sua família e vá passear no Parque do Povo, aquele da ponte Cidade Jardim. Lá acontece o espetáculo “Água Doce” que começa às 16h00 e conta a história de uma família mitológica que se dedica a cuidar das águas.

Domingo 17/06

O Brasil estreia na Copa e o Bourbon Street entra em campo com uma programação cheia de novidades: abre às 13h30 para aperitivos e almoço, exibe no telão Brasil e Suíça e após o jogo anima os torcedores com gafieira da melhor qualidade. Quem for com a camisa da seleção brasileira tem desconto.

terça 19/06

“Ciclo 1906” reúne grandes nomes do jazz pela segunda vez no Brasil. O projeto faz parte da agenda cultural promovida pela cervejaria Estrella Galicia e terá entrada gratuita. Os shows começam a partir das 19h na Rua Belmiro Braga, 119 em Pinheiros.

As aventuras de Gipsy

Lançamento do livro AS AVENTURAS DE GIPSY

AS AVENTURAS DE GIPSY
AS AVENTURAS DE GIPSY

Venha conhecer essa linda historinha de amor e respeito aos animais.
Vai ter maquiagem infantil, balões e muito mais para a criançada!

Livro de Maria Eugenia Cerqueira

Maria Eugenia Cerqueira
Livraria Cultura Shopping Iguatemi
16:00 – 19:30 sábado, 12 de agosto de 2017
Livraria Cultura – Shopping Iguatemi São Paulo
Jardim Europa-Piso 3
São Paulo, SP 01489-900
(11) 3030-3310

AS AVENTURAS DE GIPSY
AS AVENTURAS DE GIPSY

Avó maratonista!

Não é a toa que Maria Eugenia Cerqueira capitaneia o nosso portal Amantes da Vida. 

O enorme prazer com que ela envolve todas as suas peripécias, tornaram-na alvo da super simpática matéria de autoria do jornalista Roberto de Oliveira publicada na Folha de São Paulo. 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Fim de feira na Ceagesp. Um Land Rover Freelander, estaciona junto às caçambas. O carona sai do veículo e promove um rapa nas sobras de frutas e legumes. Sacolas cheias, uma mulher salta do carro para carregar a mercadoria.

Naquele momento, Maria Eugenia Cerqueira “engole a fina” e incorpora a “Dona Xepa”. Porta-malas abarrotado, ela e Wilson Mello, seu assistente “de mil e uma” habilidades, cruzam 20 km para abastecer o freezer. Isso não é à toa, já que ela divide a casa com um animal de estimação que consome 4 kg diários de frutas e legumes. A mascote não é do tipo que recebe a “mamãe” latindo ou pulando no colo.

Gypsy até abana o rabo, naturalmente enroladinho, quando Maria Eugenia se aproxima do recinto, construído especialmente para abrigá-la, em frente à quadra de tênis, no quintal da casa. Mas, no alto de seus 200 kg, a porca é facilmente capaz de atropelar a própria dona.

A bichinha chegou lá há dois anos. Foi comprada como uma mini-porca, presente para o neto que mora nos EUA e passa férias com ela em Alphaville. Com apenas 2 kg, veio numa caixa de sapatos.

Mas, nos primeiros passos, a porca já assinalava que era boa de boca. Aos quatro meses, “lanchou” o jardim da casa. Desde bebê, revelava faro fino: Gypsy, cujo nome foi escolhido com ajuda de amigos, era apaixonadíssima por lírios. Traçava todos.

Foto: Divulgação

“Só restaram as azaleias. Ela nunca gostou e odeia jiló”, explica, revelando o paladar gourmet de sua “baby”.

Hoje, a porca está enquadrada numa dieta espartana: ração, frutas e legumes duas vezes por dia, na tentativa de não estourar a meta estipulada por uma nutricionista especializada em suínos.

Vez ou outra, recebe um agrado… condicionado. “Seat”, diz Maria Eugenia ao se aproximar. Gypsy senta e devora a recompensa: um biscoitinho para cachorro.

Antes de degustar a guloseima, a porca solta um grunhido. “Ouviu? Ela emite três sons distintos: um quando quer comida, outro quando está carente e um de festa”, interpreta a dona.

Naquele tarde, Gypsy lançou um ronco aparentemente indecifrável, que, no entanto, logo foi entendido: nem por mil biscoitinhos ela entraria na piscina da casa.

“Será que ela não está pedindo uma boia, Maria Eugenia?”, quis saber a amiga Ana Maria Boucinhas.

“Não é isso”, responde Wilson, o fiel assistente. “Ela é uma exímia nadadora.”

Apesar de o terreno de 1.500 m2 abrigar cinco cães, dois canários-belgas, dois papagaios, dois jabutis e mais de um centena de sapos -estes, de brincadeirinha-, é difícil disputar espaço com Gypsy, cercada de mimos. É a única dos mascotes que tem até direito a spa: uma vez por semana, ela ganha banho de azeite de oliva “para evitar o ressecamento da pele”.

Foto: Divulgação

 

SWAT E PURPURINA

Entre animais e plantas, Maria Eugenia se revela uma mulher de fases: escritora, blogueira, advogada, filósofa e maratonista.

Essa senhora de 52 kg, que não aparenta sua idade, arruma tempo para manter um portal na internet, o Amantes da Vida (amantesdavida.com.br), que, voltado para a terceira idade, trata de temas como moda, cultura e viagens. Nele, só é proibido queixar-se da vida e falar de doenças.

Já escreveu três livros -em “Rotina com Purpurina”, ela dá dicas para lidar com a vida doméstica. Participa ainda do programa “Mulheres”, da TV Gazeta.

“Essa menina não para. Ao lado dela, não tem tempo feio”, diz a amiga Ana Maria.

Carioca, Maria Eugenia mora em São Paulo há 30 anos. “Quando cheguei a Alphaville, aqui não tinha supermercado, mas sobravam corujas e sapos”, conta a aposentada pela Receita Federal.

Aos 45 anos, depois de fumar desde os 15 anos, trocou o cigarro pela corrida. “Hoje, preciso de muita proteína para treinar”, diz. “Peço perdão à Gypsy quando como uma feijoada”, diz, sentida.

Participou de 35 maratonas em lugares como Nova York, Paris, Dubai e Rio. No segundo andar da casa, medalhas e troféus. Recentemente, ampliou a coleção com um distintivo da Swat, “prêmio” de um treinamento que fez com executivos brasileiros em Orlando (EUA). “No final, metralhamos um carro”, conta.

Dia desses, começou a lapidar uma antiga paixão: patinação. “Quando menina, andava naquele modelo antigo de quatro rodas”, lembra. “Sempre invejei as mocinhas do Walmart, que iam e vinham nos patins in-line.”

Enquanto desliza pela quadra de tênis, Gypsy devora meia melancia e a observa. Solta um grunhido. Desta vez, parece dizer, finalmente, que ela está em “festa”.

Foto: Divulgação

 

Por ROBERTO DE OLIVEIRA / folha.uol.com.br

 

Viver melhor o Agora

Entre o passado e o futuro, sabedoria é viver o presente 

Por que as pessoas têm tantas dificuldades para identificar o que há de bom no presente? Em detrimento de se viver melhor o agora, elas se alimentam de intensas lembranças do passado, enquanto passam a vida esperando ansiosamente realizar algo no futuro.

Quando começam a pensar em como estão vivendo, muitas dessas pessoas tomam por base as experiências vividas no passado, buscando por fatos que lhes proporcionaram bem-estar. Enquanto isso, o presente, tão lindo e repleto de tantas possibilidades, parece estar dia a dia mais esquecido.

Não satisfeitas com o que estão vivendo, várias pessoas passam dias e mais dias dedicando-se a adquirir algo para ser desfrutado lá no futuro, tão incerto quanto o próximo minuto de vida de qualquer pessoa. A vida vai passando, mas as pessoas com essas características não se dão conta de que o único dia possível sobre o qual que temos relativo domínio chama-se hoje.

O passado, é fato, tem sim suas funções, as quais devem ser respeitadas, pois uma pessoa que não aprende com sua própria história é alguém fadado a “bater a cabeça sempre na mesma quina”. Alguém que não se dedica, ao menos um pouco, a refletir em tudo o que já viveu corre um enorme risco de se apagar, de passar o tempo todo sem brilho, sem graça, sem beleza.

Entretanto, aquele que se arrisca em projetos que visam a levar bem-estar apenas ao futuro pode ficar muito frustrado em não ter chance de colocá-lo em prática. Isso de não o colocar em prática tem várias razões, mas uma das principais está no fato de as nossas expectativas mudarem com o passar do tempo. Logo, aquele projeto de bem-estar só no futuro, para o qual tanta energia foi dispensada, pode perder todo o sentido e significado, dado que as motivações de uma pessoa podem sofrer mudanças a todo o momento.

Para dimensionar tudo isso, busca-se sabedoria, inteligência e perspicácia para aplicá-las nas obras realizadas pela arte de viver.

Uma das grandes mostras dessa sabedoria talvez esteja em viver da melhor forma possível com o que se tem hoje, dispensando a angústia de tentar prever e anteceder o que ainda não se conhece, ou seja, o futuro.

Foto: Divulgação

A sabedoria também pode estar no perfeito equilíbrio em viver o presente, considerar as funções do passado e, ainda, usar de modo adequado todos os recursos que também serão necessários no amanhã. Assim, não desperdice seus dias angustiando-se com o que já aconteceu e, tampouco, com o que ainda não se sabe se irá ou não acontecer.

Viva seu presente com a sabedoria que conseguiu adquirir com os seus anos de vida, pois é ela que dará maiores garantias de um futuro mais sossegado.

 

Por Erika de Souza Bueno

 

Amigos virtuais

 

Criticar e condenar as redes sociais como responsáveis pelo isolamento interpessoal virou moda, sendo alvo de profundos estudos psicológicos. Mas nós, do Portal Amantes da Vida levantamos às alturas a bandeira contrária, sobretudo para o nosso público alvo – a turma de RG baixo e astral alto.

Foto: Divulgação

A Internet definitivamente acabou de vez com a tal solidão, sentimento inerente ao antigo conceito da velhice.

No momento em que se enfrenta o “bicho de sete cabeças”, constata-se quase que imediatamente tratar-se de um animalzinho de estimação já inseparável e abre-se assim um mundo maravilhoso, onde a triste emoção não tem espaço.

A maioria dos novos internautas entra timidamente nas redes sociais chegando até a princípio achar-se convencido pelas críticas, tratarem-se de espaços invasivos.

Na medida em que com a maior cautela for se familiarizando com a dinâmica das tais redes, a ótica vai dando umas reviravoltas e quando vê, já está viciado nos troca-troca de postagens.

Há de tudo para todos os gostos. Quer apenas resgatar amigos antigos? Em uma clicada o passado volta imediatamente ao presente e ‘bye bye’ solidão.

Nos grupos sociais é totalmente possível sentir-se participando de causas que nem se sonhava existir. A autoestima vai para as alturas na medida em que se sente inserido ativamente na atual realidade mundial. Estando contente com si mesmo, como sentir a tal solidão????

Foto: Divulgação

É simplesmente assustadora a velocidade das informações e ausentar-se das redes sociais é distanciar-se do que se passa em “off” da grande mídia. As notícias são jogadas na rede e imediatamente trazem elementos passíveis de alterar posições anteriores. Discutir consigo mesmo é um bom modo de afastar a solidão também.

Quantos grupos são formados nas redes sociais que acabam agregando fisicamente seus participantes?

Aos que comungam das mesmas ideias, projetos e programações são elaborados em comum com pleno êxito, vindo inclusive a abrir portas para pessoas desconhecidas, mas ligadas pelos mesmos interesses. Solidão ????

Lá atrás era um drama ficar ‘micado’ em casa em um fim de semana. Ali sim, pintava um tremendo clima de solidão com pitadas de rejeição e mal tínhamos chegado à maturidade!

A mesma situação hoje em dia, longe está de se revestir deste sofrido sentimento, para quem interage nas redes. Amigos reais e virtuais estão na telinha ao vivo para um papo ou, deixam postagens que fazem o pensamento voar, os olhos verem o belo e a alma dar gostosas gargalhadas.

Nos velhos tempos, a passagem por uma dor qualquer era dividida com meia dúzia de amigos.

Agora, basta um simples comentário superficial e do nada surgem dezenas de palavras maravilhosas de anjos que incorporam amigos desconhecidos para darem forcas naquele período.

Isto sem falar que a globalização das redes sociais permite que amigos e parentes super distantes no espaço participem das movimentações uns dos outros, impedindo assim que os laços afetivos sejam desfeitos.

Poderia me estender na tese, mas é bom saber que nas redes sociais, textos longos não colam!

Mas nada impede que amigos queridos reais ou virtuais reforcem a máxima de que solidão não rola nas redes sociais. E caso alguém tenha uma recaída e se sentir sozinho, basta pedir um help e anjos na mesma hora desandam a teclar para o clássico velho.

 

‘Quem dá brilho, brilha’

PAUTA – 10 de abril de 2017 – Programa Mulheres TV Gazeta
1. Amaciante de roupas aromatizado (receita prática e barata):

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

– Um litro de vinagre branco de álcool
– Meio litro de condicionador para cabelo do aroma de sua preferência nas cores azul ou branca (não colocar rosa nem amarelo para não dar uma cor na roupa de encardida)
– Meio copo de bicarbonato de sódio
– Cinco litros de água na temperatura ambiente
– Misture bem, coloque em garrafas pet e guarde. Não se esqueça de etiquetar. Use como na medida costumeira!
2. Tapete novo:

Depois de higienizadas, as fibras de tapetes e carpetes ficam ressecadas e ásperas ao toque. Resolva isso colocando o amaciante ensinado acima em um borrifador e espalhe no tapete ou no carpete, massageando as fibras com os dedos (use luvas de borracha ou descartáveis para evitar possíveis alergias). Deixe secar naturalmente e sinta a diferença!
3. Banheiro limpinho:

O amaciante ensinado é ótimo para fazer uma limpeza suave no cômodo mais úmido da casa. Você pode usá-lo nos azulejos, no vaso sanitário, na pia, no balcão de fórmica, no ralo, claro nas toalhas… Aplique com pano ligeiramente umedecido, depois da limpeza geral, que o cheirinho vai durar horas. Não aplique no chão para que não fique escorregadio.

4. Como lavar malhas de inverno:

Você acaba de tirar as malhas da gaveta e estão com cheiro de guardada – precisam ser lavadas. Aproveite o restinho de dias quentes.
Separe as malhas por cor e use sempre água fria. Deixe de molho em sabão líquido neutro (dissolva o sabão na água antes de colocar a peça). Enxague em água fria com vinagre branco de álcool (uma xícara de café cheia para cada cinco litros de água) – se você tiver algum condicionador de cabelo cujo cheiro lhe seja excepcionalmente agradável, dissolva algumas gotas em um pouco de água e adicione na água de enxague da malha para ficar ainda mais cheirosinha ou você pode usar a receita ensinada acima. Esprema a malha numa toalha – nunca torça e deixe secar sobre uma bancada, esticadinha, sobre uma toalha seca. Se quiser, inverta a malha até os dois lados secarem por igual – sempre longe do sol
Coloque um sachê de cravo da Índia na gaveta ou algodão com gotas de lavanda, como preferir, para aromatizar as malhas cuidado para que o sache não encoste nas roupas para evitar manchas. Uma caixa de giz também ajuda a absorver a umidade Não se esqueça de deixar o giz ao sol de vez em quando ou na falta deste, secar no forno ou no micro.
5. Clarificante (tira manchas caseiro ecológico sem uso de água sanitária):

– 150 ml de água oxigenada 30%
– 7 colheres de sopa de sabão em pó
– 7 colheres de sopa de bicarbonato de sódio
– 5 ml de amaciante

Colocar todos os ingredientes num recipiente de boca larga, misturar bem até formar uma pasta – se quiser, pode colocar um pouquinho de água. Guardar em recipientes escuros ao abrigo da luz. Usar 5 ml para cada 10 kg de roupa como clarificante. Diretamente nas manchas, deixe agir por cinco minutos e lave normalmente. Não substitui o sabão. Teste num lugar da roupa que não danifique a peça pois contém água oxigenada.
(Nunca use água sanitária em peças que contenham fios sintéticos pois ao invés de clarear amarelam o tecido definitivamente).

 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação