O que é Moda pra você?


Moda – uma visão antropológica

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Outro dia, enquanto procurava uma palavra no dicionário, deparei-me com algo que me chamou a atenção. Entre algumas definições para “moda”, estava “Uso, hábito ou estilo geralmente aceito, variável no tempo, e resultante de determinado gosto, meio social, região, etc.”. Outro significado presente era “maneira, modo”. Comecei a pensar, então, no real significado do termo nos dias atuais.Corri para o meu laptop e mais uma vez, deixei-me levar…

Foto: Divulgação

Muitos sabem que, com o reflexo de um tempo ou sociedade, a moda muda e cresce, e que também se modifica a forma como cada um a usa. O papel que a globalização teve nos últimos anos (e continua tendo até hoje) com relação ao assunto é muito importante. Prova disso é a internet, que propaga as informações, fazendo com que as mesmas ganhem uma velocidade inimaginável.

Cada vez mais, as culturas se mesclam, trocando entre si hábitos, idéias, costumes… Influências têm passagem de ida e volta se manifestando sob a forma de acessórios, maquiagens, roupas. Um exemplo forte é a influência exercida pelas novelas. Roupas, acessórios, cores, tecidos coloridos e estampados, esmaltes, expressões verbais, comportamentos e até mesmo cortes de cabelos causam tanta empatia com o público que, em pouco tempo adere a tais costumes… E assim vão ganhando mais destaques após o folhetim.

Nos dias atuais, não há como fugir. Influências chegam por todos os lados e em grande quantidade. Por conseqüência, modificam a moda, modificam o estilo de vida… Além de inevitáveis, são necessárias e benéficas.

Sob a alta velocidade da globalização, as categorias pré-determinadas acabam caindo por terra. Não há mais estilos concretos que obedeçam a normas e sigam parâmetros, mas sim uma grande mistura em que diferentes culturas se mostram presentes em pinceladas, assim como a influência de diferentes épocas, estilos de vida… Tornaram-se raridades aqueles que se posicionam sob a sombra de um único rótulo – se é que ainda existem rótulos. Como um natural reflexo de uma sociedade mais globalizada e comunicativa, a moda se tornou mesclada e mais democrática.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Diante disso, tendências nascidas nas passarelas chegam às vitrines e às ruas com um enfoque diferente, pois são vistas pelos consumidores desta forma. Já não escravizam ou impõem nada, mas sim servem de base para customizações, trocas e ideias novas. Uma mesma tendência se torna várias sob diferentes pontos de vista ou, como diz o dicionário, “resultante de determinado gosto, meio social, região, etc.”. Moda, na realidade, é fruto do modo. Usada como identificação, como forma de se construir ou mostrar uma identidade, ela há de ser singular e existir de forma única para cada um. Afinal, nós podemos usar as tendências através de nosso próprio olhar e a nosso favor, ou sermos usados por elas.

Até o nosso próximo encontro!

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicitária e Jornalista com pôs graduação em Design de Moda.

Por Carla Lima/Fotos: Richard Avedon

 


Autor: Amantes da Vida

Compartilhe Esse Post Em

3 Comentários

Envie um Comentário