Origem dos Ovos de Páscoa


 

Mesmo Archimedes queimando todas as suas pestanas entre observações e cálculos, jamais chegaria a alardear: “EUREKA o número da população mundial será superior a  7 bilhões”.

Imagine então se os românticos camponeses dentre os cerca de 100 milhões de pessoas que habitavam o planeta no século III A.C, poderiam imaginar estarem criando um ritual que se perpetuaria por  “seculum  seculorum”.

O equinócio da primavera era altamente comemorado, pois representava a passagem para o novo ciclo, em que a fertilidade do solo se abria para próximas colheitas.

Festejando a entrada da primavera, era usual presentear com ovos de aves cozidos em água colorida por vegetais e pintados à mão.

Foto: Divulgação

A tradição milenar foi absorvida e amplamente divulgada pelo Cristianismo e pelo Judaísmo. Passagens marcantes nas respectivas histórias religiosas marcam a Páscoa e o Pessach, gerando motivos de reflexão e comemorações festivas.

Dos singelos ovos de aves pintados aos gostosos ovos de chocolate, muitos materiais para a confecção foram utilizados. A madeira, a porcelana, incluindo-se até os feitos em ouro, serviam de propostas para simbolizar a passagem.

Luis XV por exemplo, deu  para a sua amante Mde du Barry, um grande ovo que escondia dentro uma estátua de Cupido. Cá entre nós, tremenda declaração de amor!

O ovo de Páscoa foi a escolha de Peter Carl Fabergé, para deixar sua arte para a prosperidade.

Sobre o inicio da elaboração em chocolate, há controvérsias. Uma corrente abraça a idéia de ter sido a proibição de se ingerir alimentos de origem animal na Páscoa, o fato gerador.
Outra, aponta o surgimento da indústria do chocolate no século XIX , que levou os embrionários marqueteiros a descobrirem a brilhante ideia.

Independente da paternidade, o que importa é o resultado final. 120 mil toneladas de chocolate são usadas em 2013 na fabricação dos ovos de Páscoa.

Mal sabiam os camponeses que vinte e três séculos depois, o exemplo de seus singelos ovinhos coloridos, movimentariam a economia mundial com tanta força. E para contentamento de seus descendentes, os ovos de aves cozidos em água colorida e pintados à mão, continuam a serem produzidos por crianças em todo o mundo nesta data que celebramos com tanta alegria.

“Amores Perfeitos”, de 1899 por Fabergé

“Czarevich” de 1912 por Febergé


Autor: Ana Boucinhas

Compartilhe Esse Post Em

1 Comentário

Envie um Comentário