Controle o colesterol!

Atualizado: Fev 5

Quanto mais o conhecimento médico e pesquisas se desenvolvem, mais se comprova a máxima “você é o que você come”. Quando as calorias ingeridas pelo homem são ultrapassadas, o organismo passa a armazená-las para um eventual período de falta, sob a forma de colesterol (LDL, o colesterol ruim) cujo aumento é extremamente perigoso para o funcionamento do coração.

Nem sempre é preciso uma mudança radical na alimentação para resolver o problema. Pequenas alterações no dia a dia são suficientes para alcançar um nível saudável de colesterol. Os alimentos que contêm colesterol devem ser monitorados de uma forma geral. O total da gordura obtido em um dia deve ser menor, em sua totalidade que 300 mg. Assim, as três refeições do dia devem ser monitoradas. Como o hábito é uma segunda natureza, com o tempo, fica automático o controle sem ser preciso ficar obsecado pelo assunto.

Foto: Divulgação


Aqui vão algumas dicas, resultantes de extensos estudos com inúmeros pacientes e que demonstraram que efetivamente funcionam.

  1. Troque os “integrais” pelos “desnatados” – alimentos de origem animal são ricos nas gorduras chamadas saturadas. Se ao invés de queijos amarelos você optar pelos brancos, já está dando um passo à frente. Leites, yogurtes e assemelhados apresentam versões “zero” muito saborosas – selecione estes tipos.

  2. Carnes magras, sem capas de gordura, presuntos e embutidos light são encontrados nos supermercados sem qualquer problema. Não coma a pele das aves e se possível, já na preparação, retire esta parte para que a gordura não impregne na carne e você não tenha a tentação de dar uma beliscadinha. Não é preciso deixar de comer carne vermelha, mas dê preferência às que não sejam gordurosas. Carnes brancas e magras também têm colesterol e devem ser dosadas, como todos os alimentos provenientes de fonte animal. Dê preferência aos peixes, na luta para baixar o mau colesterol. Cem gramas de peito de frango com pele contêm 80 mg de colesterol. Sem a pele, o valor passa a ser 59 mg,

  3. Evite o consumo das gemas dos ovos. A clara é um excelente alimento e não prejudica a saúde

  4. Banha de porco deve ser banida do dia a dia e é também importante limitar o consumo de manteiga. Leia atentamente os componentes de bolos e tortas já prontos para não incidir no erro por descuido.

  5. Cuidado com as  gorduras hidrogenadas que levam gordura trans em produtos industrializados como biscoitos recheados, batatinhas fritas e toda a gama de snacks aperitivos. O perigo é idêntico ao das gorduras saturadas encontradas nas carnes gordurosas. Verifique a porcentagem de valor diário (%VD) nos rótulos. Valores superiores a 20 são considerados altos. Opte por aqueles que apresentam números inferiores de gorduras saturadas, trans e colesterol por serem mais saudáveis e é obrigatória esta informação.

  6. Passe a usar o óleo de canola e o azeite de oliva. As gorduras monoinsaturadas presentes nos dois tipos de óleos vegetais ajudam a reduzir as taxas de LDL, colesterol maléfico. Os óleos vegetais ricos em gorduras poli-insaturadas ( soja, girassol e milho) aumentam os níveis de HDL, o bom colesterol.

  7. Reduza ao máximo a ingestão de alimentos fritos. Já está disponível no mercado panelas que “fritam” com um mínimo de óleo Quando superaquecidos, os óleos alteram as estruturas de suas moléculas e perdem a capacidade de aumentar o HDL, o bom colesterol. Jamais reaproveite qualquer tipo de óleo.

  8. Cozinhe ou asse os alimentos ao invés de fritá-los.

  9. Last but not least, pratique exercícios físicos que influenciam diretamente na redução de gorduras corporais e, é claro, na baixa do colesterol sanguíneo.

Viver é bom se houver qualidade de vida e para tanto, algumas regras precisam ser seguidas. Difícil ou quase impossível chegar aos cem anos se o indivíduo for obeso, portanto vamos fazer do alimento nosso medicamento e não um passaporte para a morte.

Foto: Divulgação


#Saúde

0 visualização

Fique por dentro das novidades

© 2020 Amantes da Vida - Todos os direitos reservados