Fique por dentro das novidades

© 2020 Amantes da Vida - Todos os direitos reservados

Idoso = VIP

Atualizado: Fev 5

Dia Internacional do Idoso – 01 de Outubro – ‘Todas as moedas têm dois lados’.

Quando criaram o Estatuto do Idoso, no pacote já veio o logotipo indicativo da preferência aos maiores de 60 anos. Um bonequinho arqueado apoiando-se em uma bengala.

Além de a turma ter chiado por virar compulsoriamente idosa, grupos insistem em achar ofensiva a imagem, pois diante da realidade atual, aquela figura representa uma pessoa já com o pé na cova e não um adulto simplesmente sexagenário. Mas no imaginário coletivo, os idosos obrigatoriamente devem ter aquela postura apontada.

Foto: Divulgação


A meu ver, a dramaticidade do logotipo causa impacto positivo, obrigando um respeito especial àquela pessoa aparentemente saudável, mas que só pode estar escondendo internamente as ferrugens que o tempo trouxe.

Em países onde culturalmente os mais velhos são respeitados, haja idade para merecer a deferência que a nós é concedida já a partir dos 60 anos, através da sinalização gráfica.

Para os idosos do século XXI que estão em pleno vigor físico, a tal plaquinha deve ser apreciada como mero indicativo de que… passaram para a ala VIP. Nada de enfrentar filas em cinemas, teatros, bancos, lojas e supermercados. Basta localizar a bendita placa azul e já passa a ser tratado como um astro do futebol ou uma renomada atriz.

Deixa a turma da espera dar asas à imaginação à vontade. O que importa é aproveitar a deferência indevida, mas imposta por decreto. Já pensou se resolvem simbolizar a realidade dos pós-sexagenários atuais? Bonequinho com o corpo ereto, cheio de vida e dinamismo e só caracterizado por uma carequinha ou um cabelinho branco?

Dos olhares das turmas das filas sairiam faíscas de ódio como se ‘black bocs’ fossem. Assim, cabe outra apreciação para a caracterização que foi dada na figura do idoso.

Temos que dar asas também à imaginação e pensarmos que nos deram a bengala para levantarmos por cima da multidão e pensarmos silenciosamente – “Oh abre alas, que quero passar”. Viramos compulsoriamente VIPS. 

#Comportamento

0 visualização