Piratas do Séc.XXI

Atualizado: Fev 5

Enquanto a tecnologia invade o século XVII em que vive o Butão, personagens daquela época, ressurgem no mar da Somália em pleno século XXI.

Foto: Divulgação


Motivos políticos levam cidadãos somalis a saquearem os navios cargueiros. A Marinha russa e a iraniana com suas forças navais já acompanharam quase dois mil navios cargueiros no Golfo de Aden.

Mas longe de ser desanimador ao passageiro de um navio de turismo, pois os famosos piratas não precisam de fatos, mas de dinheiro para a sobrevivência.

Assim, ao turista sossegado, soou como um tremendo excesso de zelo, a obrigatoriedade imposta pelo comandante de ser procedido o treinamento para eventual ataque de piratas. Mas já que a observação à autoridade-mor é devida, todos foram obrigados a largarem a ociosidade e ir direto para a porta das respectivas cabines.

Entediados, recebem as instruções. “Ao escutarem um longo apito seguido pela repetição da palavra Alfa por três vezes, dirijam-se às cabines, retirem remédios de uso diário e o que achar importante. Tripulantes darão continuidade ao procedimento”.

Acabada a chatice, o retorno ao ócio com dignidade, já sabendo também que durante as próximas seis noites, o navio ficaria com as luzes externas apagadas. Nada de festas ao relento e nas varandas das cabines, só o luar…

No olhar romântico para o horizonte, a vista se surpreende com um mini barquinho colado ao super navio. Como a alma do adorador de cruzeiros só pensa em aproveitar o sol, deparar com a ostensiva bagagem do barquinho, causou estranheza. Um carregamento de melões feito em alto-mar. Melões? Baldes e baldes de gasolina que abasteceriam a lanchinha nos próximos dias.

Lanchinha? Bastaria o marinheiro apertar um botãozinho e em dois tempos o ar se encheria de aviões de guerra e do mar emergiriam destroyers e submarinos disparando bombas e mais bombas nos navios piratas. À medida que os dias foram passando, o número de cargueiros que seguiam em comboio ao lado do navio de lazer ia aumentando e criando certo clima. Mas todos se protegendo com a lanchinha de melões…

Foto: Divulgação


A vida al mare corria comme il faut, até ao momento em que no cair da noite, um longo apito ressoa pelo navio e  ALFA ALFA ALFA!!!

Um Deus nos acuda, pois todos os ex-entediados entraram em pânico e saíram se escalpelando pelas brilhantes escadarias, já tremendo em pensar que iriam conhecer ao vivo e a cores o Capitão Gancho.

O torpor durou os mais longos segundos de vida, pois logo a seguir veio a contra-ordem. Refeitos do pavor e reassumindo os ares de Peter Pan feliz, entre uma taça de champagne e outra, ficamos sabendo que o pedido insistente de contato com um navio que se aproximava não foi respondido, levando o Comandante a criar o caos, segundos antes de receber o esperado “oi”.

Da emocionante passagem, restou a reflexão cheia de tristeza, por termos atravessado as águas marítimas dos somalis que tentam desesperadamente salvaguardar as riquezas que lhes pertence.

Foto: Divulgação


#História #Turismo

0 visualização

Fique por dentro das novidades

© 2020 Amantes da Vida - Todos os direitos reservados